Conversa Objetiva: Marco Feliciano é eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos
Este Blog é dedicado a tratar de assuntos como ufologia, religião, saúde, política, e cidadaniaCom uma linguagem às vezes subjetiva, oferece distintas  interpretações sobre a vida, sobre o Universo e a presença da humanidadeSerão apresentados recortes direcionados com o objetivo de despertar o pensamento crítico do ser humano, o desenvolvimento do respeito e da compaixão, da união e da igualdade entre as pessoas.
UTILIZE O MENU AO LADO <- PARA SELECIONAR POSTAGENS ANTIGAS NO ARQUIVO DO BLOG.

" Toda verdade passa por três estágios: Primeiro, é ridicularizada. 
Segundo, é violentamente rejeitada. 
Terceiro, é aceita como sendo auto-evidente."
Arthur Schopenhauer

Facebook Page

sexta-feira, 8 de março de 2013

Marco Feliciano é eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos









Vamos comentar um pouco sobre esse novo personagem que faz com que, mais uma vez, percebamos que o Brasil é um país de TOLOS!...

Por suas declarações, é HOMOFÓBICO e acusado por alguns de RACISMO. Olhe bem para algumas fotos do ilustre.








Prefiro não fazer comentários, pois eu não sou HOMOFÓBICO como alguns que talvez tenham traumas reprimidos e criam polêmicas sociais apenas como forma de vencer na sociedade as suas frustrações e não-aceitações.







Marco Feliciano é eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos Felipe Néri Do G1, em Brasília

Conhecido por suas posições preconceituosas e racistas em relação a homossexuais e negros, pastor Marco Feliciano (PSC) é escolhido presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados na Terça-Feira 05/03.

Pastor Marco Feliciano pode ser indicado presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara
Foto: Terceiro / Divulgação


Ainda sob protestos a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados elegeu o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para presidir o colegiado. A vice-presidência ficará a cargo de Antônia Lúcia (PSC/AC). A votação ocorreu com 11 votos favoráveis, dos 18 membros do colegiado.

Pastor da igreja Assembleia de Deus, o deputado causou polêmica em 2011, quando publicou declarações polêmicas em seu Twitter sobre africanos e homossexuais. "Sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, ocultismo, misérias, doenças oriundas de lá: ebola, Aids, fome... Etc", escreveu o deputado na ocasião. Ele também havia publicado na rede social que "a podridão dos sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime e à rejeição".

Durante a posse, o deputado negou ser racista. "O trabalho que nós vamos executar aqui vai mostrar ao povo brasileiro. Caso eu houvesse cometido esse crime de racismo, a primeira pessoa para quem eu teria que pedir perdão na vida seria a minha mãe [...]. Uma senhora de matriz negra, só não tem a sua matiz negra - só a pele dela não é negra -, mas o sangue é negro, os lábios são negros, o coração dela é, como eu também sou", disse.

O deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), após ser confirmado como presidente da Comissão de Direitos Humanos (Foto: Alexandra Martins/Agência Câmara)






Deputado Marco Feliciano responde por homofobia e estelionato no STF Mariana Oliveira Do G1, em Brasília

Parlamentar do PSC vai presidir Comissão de Direitos Humanos da Câmara.
Advogado afirma que deputado é inocente e denúncias 'não vão prosperar'.

O novo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Marco Feliciano (PSC-SP), é alvo de dois processos no Supremo Tribunal Federal (STF): um inqúerito que o acusa de homofobia e uma ação penal na qual é denunciado por estelionato. A defesa do parlamentar nega as duas acusações.


Feliciano foi denunciado em janeiro pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que considerou homofóbica a mensagem do deputado no microblog Twitter com a frase "A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime, à rejeição". Mas como não existe crime de homofobia, o procurador enquadrou o ato como crime de discriminação, com pena de um a três anos de prisão.

O relator do inquérito é o ministro Marco Aurélio Mello. Ele ainda precisa levar o caso ao plenário, que decidirá se abrirá ação penal e transformará o parlamentar em réu. Para Gurgel, a fala "revela o induzimento à discriminação". "A expressão de pensamento postada na rede social pelo denunciado Marco Antônio Feliciano, no dia 30 de março de 2011, ou seja, em um canal da mais ampla divulgação possível, revela o induzimento à discriminação dos homossexuais em razão de sua orientação sexual", afirma o procurador na denúncia."Foi burburinho de entidades. Foi a interpretação religiosa de um trecho da Bíblia.  Para o MPF, não houve racismo. Acreditamos que não vá prosperar também a denúncia de homofobia."

No mesmo processo, o procurador citou outros posts no qual o parlamentar fala sobre raças, como: "Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato. O motivo da maldição é a polêmica. Não sejam irresponsáveis twitters rsss", diz o post. Para Gurgel, Feliciano não poderia responder por racismo porque a frase está "no limite entre a ofensa à raça negra e a liberdade de expressão".

Além disso, Feliciano também responde a ação penal pelo crime de estelionato, denúncia feita em 2009, antes de ele tomar posse como deputado federal. O processo foi remetido ao STF em razão do foro privilegiado. Na ação, o deputado é acusado de obter para si a vantagem ilícita de R$ 13.362,83 simulando um contrato "para induzir a vítima a depositar a quantia supramencionada na conta bancária fornecida". A denúncia do MP do Rio Grande do Sul afirma que o parlamentar firmou contrato para ministrar um culto religioso, mas não compareceu.

O processo, de 261 páginas, está sob a relatoria do ministro Ricardo Lewandowski, e atualmente está em fase de depoimentos das testemunhas. O plenário do Supremo vai decidir se ele será ou não condenado. O advogado Rafael Novaes da Silva afirmou que se trata de um "desacordo comercial". Segundo ele, Feliciano não pôde comparecer em razão de outros compromissos e, inicialmente, tentou devolver os valores recebidos, mas os organizadores não quiseram receber. Posteriormente, garante o advogado, os valores foram ressarcidos. "Ele [Marco Feliciano] devolveu todos os valores. Acreditamos que a ação não vai prosperar", declarou.


Será possível acusar uma pessoa íntegra como essa de estelionato?... 
Teoria da prosperidade?
Vamos adicionar algumas falas do próprio dito cujo.




"Mais uma moto tá chegando aqui"

"doou o cartão mas não doou a senha... aí não vale!... Depois pede uma benção e Deus não atende, vai falar que Deus é ruim"

"Tá feito. Aquele que crê dá m jeito. O irmão disse que mil ele não tem corag... er... que ele não tem como fazer mais que quinhentos ele tem... tá feito!"





Quase um mestre!





-------------------------------------------------------------------------------------



Pedro Abramovay - Avaaz.org 
9 mar (1 dia atrás)


É revoltante - o Congresso elegeu Feliciano! Mas nós temos uma chance na terça-feira para tentar tirá-lo do poder. Vamos alcançar 500.000 antes disso. Envie este email para todos!

Caros amigos do Brasil,



É revoltante! Marco Feliciano, que acabou de assumir a CDHM, é conhecido por comentários racistas e homofóbicos. Mas alguns parlamentares se opuseram a esta decisão e podemos dar a eles o apoio popular necessário para impedir que Feliciano continue neste cargo. Não temos muito tempo -- eles se reunirão na terça-feira. Assine agora e conte a todos. Entregaremos a petição aos parlamentares antes da sua reunião:


Sign the petition
É revoltante! O pastor Marco Feliciano, conhecido por comentários racistas e homofóbicos, foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara (CDHM), à portas fechadas. Eles acham que conseguem ignorar a opinião pública, mas se todos nós dissermos NÃO em uma única voz agora, vamos tirá-lo de lá!

Feliciano é alvo no Supremo Tribunal Federal por estelionato e responde por preconceito e discriminação de raça e religião, e pode ser preso. Esse não é o perfil de alguém que deve liderar uma comissão que luta por justiça e igualdade de minorias! A indignação pública está se espalhando em todo o país. Se todos nós apoiarmos os deputados que querem se livrar de Feliciano, poderemos dar a eles a força do povo para vencer.

Não temos muito tempo. Na próxima terça, alguns parlamentares que deixaram a votação ontem em forma de protesto se reunirão para discutir como impedir que Feliciano continue na presidência da CDHM. Assine a urgente petição agora pela imediata destituição de Feliciano -- se alcançarmos 500.000 assinaturas antes de sua reunião, nós entregaremos nossas vozes aos parlamentares e repetiremos isso até que Feliciano saia do cargo:

http://www.avaaz.org/po/petition/Imediata_destituicao_do_Pr_Marco_Feliciano_da_Presidencia_da_Comissao_de_Direitos_Humanos_da_Camara_Federal/?cl=2587378586&v=22808

Marco Feliciano diz que os negros são “descendentes amaldiçoados de Noé” e que "a podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam (sic) ao ódio, ao crime, à rejeição”. Não dá para acreditar! E ele irá liderar justamente a Comissão de Direitos Humanos e Minorias que tem o poder de examinar questões como o casamento gay e investigar as violações dos direitos humanos.

O Deputado Feliciano foi nomeado para esta posição apenas por causa de negociatas entre os diferentes partidos em Brasília. Mas mesmo alguns políticos do Partido Social Cristão, o mesmo de Feliciano, já disseram que este não é o melhor papel para eles exercerem. Precisamos continuar pressionando e mostrar que milhares de brasileiros não concordam com essa decisão, até eles se envergonharem e colocarem na liderança da CDHM alguém com integridade.

Mais de 100.000 pessoas já assinaram essa petição. Se nos juntarmos a eles agora e chegarmos a 500.000 antes da terça-feira, poderemos salvar o Brasil de anos de intolerância e discriminação e garantir que este cargo na CDHM seja dado a alguém em que possamos confiar. Assine a urgente petição para dizer “Feliciano, NÃO”, e envie este e-mail a todos:

http://www.avaaz.org/po/petition/Imediata_destituicao_do_Pr_Marco_Feliciano_da_Presidencia_da_Comissao_de_Direitos_Humanos_da_Camara_Federal/?cl=2587378586&v=22808

Com a Ficha Limpa provamos que quando nos unimos, podemos correr atrás das mudanças que queremos. Nós iniciamos uma grande campanha para tirar Renan do poder e agora, com Feliciano, poderemo assegurar o Congresso de que nossa comunidade vai continuar lutando até limpar nossa política e fazer do Brasil um país mais justo e igualitário. Com determinação e esperança,

Pedro, Carol, Diego, Alex, Alice, Ricken e toda a equipe da Avaaz


Mais informações:

Pastor eleito para comissão responde por estelionato e homofobia no STF (Folha de S. Paulo)
http://www1.folha.uol.com.br/poder/1242604-pastor-polemico-e-alvo-de-acao-por-estelionato-e-discriminacao.shtml

Sessão que elegeria pastor nos Direitos Humanos é suspensa na Câmara (Estado de S. Paulo)
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,sessao-que-elegeria-pastor-nos-direitos-humanos-e-suspensa-na-camara,1005182,0.htm

"Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé", tuita deputado (Correio Braziliense)
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2011/03/31/interna_politica,245588/africanos-descendem-de-ancestral-amaldicoado-por-noe-tuita-deputado.shtml

Militantes se opõem a pastor no comando da CDH (Congresso em Foco)
http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/polemica-na-escolha-de-pastor-para-cdh-da-camara/ 


Apoie a comunidade da Avaaz!
Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas:Dona Agora


“Meu Jesus não foi feito para ser enfeite em pescoço de homossexual, nem de lésbica”, diz pastor Marco Feliciano

Após ser eleito presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara, o pastor Marco Feliciano enfrenta críticas e campanhas contra sua presença na entidade. O deputado pelo PSC de São Paulo tem sido criticado por declarações sobre negros e homossexuais, motivos pelos quais é acusado de homofobia e racismo.  Na internet, mais um vídeo de Feliciano chama atenção:


A parte sobre a Igreja Católica pode ser vista a partir de 3 minutos e 10 segundos. O trecho sobre "Jesus no pescoço" pode ser assistido depois de 4 minutos e 30 segundos.



Evangélicos se unem e lançam abaixo-assinado contra pastor Marco Feliciano

Rede Fale representa 39 grupos evangélicos brasileiros, que estão contra a presença de Feliciano na Comissão dos Direitos Humanos

A eleição do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a Presidência da Comissão dos Direitos Humanos também está repercutindo no meio religioso. A presença do parlamentar na entidade enfrenta resistência até do meio evangélico. A Rede Fale, que representa 39 igrejas evangélicas, muitas delas pentecostais, lança uma campanha para, através de abaixo-assinado, pressionar o Congresso para uma audiência pública que discuta os rumos da Comissão.

"A violação dos Direitos Humanos no Brasil é um problema com muitas facetas e dimensões. Somos um país que ainda tem marcas profundas de seu passado colonial escravista e que não conseguiu equacionar devidamente problemas como concentração de terra e riqueza. É preciso lembrar que ainda hoje uma significativa parcela de nossa gente sofre com os múltiplos abusos que lhe roubam a possibilidade de viver com dignidade. O enfrentamento da tortura, do tráfico de pessoas, do trabalho escravo, da violência e corrupção policial, da discriminação racial, bem como outras formas de aviltamento da dignidade humana são dos desafios mais prementes entre nós.

Considerando tudo isto, o recente anúncio de que o Partido Social Cristão (PSC) indicaria o Deputado Pr. Marco Feliciano para assumir a Presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmera dos Deputados nos encheu de preocupação.

Para nós, é essencial que a Presidência desta Comissão seja ocupada por alguém com compromisso profundo com os Direitos Humanos inscritos na Constituição Federal e notório saber sobre os importantes meios de defesa e promoção destes direitos presentes no avanço das políticas públicas das últimas duas décadas. No contexto de uma sociedade democrática e republicana, os Direitos Humanos vão além das medidas propostas para defender minorias, e incluem a garantia e promoção dos direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais preconizados pela Constituição Federal de 1988. Além disso, podemos destacar a importante atuação do Brasil nas cortes e foros internacionais de Direitos Humanos.

Constatamos que o Deputado Federal Pr. Marco Feliciano não tem atuação parlamentar prévia em nenhum destes temas que o habilite para assumir este cargo, correndo grande risco de representar de maneira equivocada diferentes segmentos da sociedade que ainda experimentam a violação de seus direitos. Preocupa-nos também certas afirmações do Deputado nas redes sociais e em pregações disponíveis no YouTube. Declarações como “Africanos descendem de ancestral amaldiçoado de Noé”, ou “AIDS é o câncer Gay”, não condizem com a postura pública de um parlamentar e denotam preconceito e discurso de ódio inadmissíveis. Nesse sentido, fazemos coro com aqueles que questionam as qualificações do Pr. Marco Feliciano para tão importante função.

Em razão disso, a Rede FALE mobiliza a Campanha “Fale por Direitos Humanos na Câmara”, que pressiona as lideranças do Partido Social Cristão para que ele não seja conduzido à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

Rede Fale"





Marco Feliciano pendurou na folha da Câmara cinco pastores de sua igreja

O deputado Marco Feliciano (PSC-SP) emprega no gabinete cinco pastores de sua igreja evangélica que recebem salários da Câmara sem cumprir expediente em Brasília nem em seu escritório político em Orlândia (cidade natal dele, no interior de São Paulo, a 365 km da capital).

O regimento da Câmara diz que os assessores de confiança devem cumprir uma jornada de 40 horas semanais de trabalho legislativo. Foi identificado que esses pastores têm a missão de comandar cada templo da igreja do deputado, recém-eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara em meio a protestos que o acusam de “racista” e “homofóbico”.

Os pastores funcionários da Câmara celebram os cultos e cuidam da administração financeira das unidades. Não há trabalho legislativo por parte deles. O escritório político de Feliciano fica em Orlândia, num imóvel anexo à igreja –onde a reportagem esteve por duas vezes em horário de expediente, mas só encontrou portas trancadas.






2 comentários:

  1. Brasil-sil-sil!
    Olha a cara de felicidade do Bolsonaro na foto!

    ResponderExcluir
  2. PETIÇÃO Imediata destituição do Pr. Marco Feliciano da Presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal

    http://www.avaaz.org/po/petition/Imediata_destituicao_do_Pr_Marco_Feliciano_da_Presidencia_da_Comissao_de_Direitos_Humanos_da_Camara_Federal/

    ResponderExcluir

Compartilhe

Poderá gostar de ler também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...