Conversa Objetiva: O meu "analfabetismo" bíblico não fala de prosperidade
Este Blog é dedicado a tratar de assuntos como ufologia, religião, saúde, política, e cidadaniaCom uma linguagem às vezes subjetiva, oferece distintas  interpretações sobre a vida, sobre o Universo e a presença da humanidadeSerão apresentados recortes direcionados com o objetivo de despertar o pensamento crítico do ser humano, o desenvolvimento do respeito e da compaixão, da união e da igualdade entre as pessoas.
UTILIZE O MENU AO LADO <- PARA SELECIONAR POSTAGENS ANTIGAS NO ARQUIVO DO BLOG.

" Toda verdade passa por três estágios: Primeiro, é ridicularizada. 
Segundo, é violentamente rejeitada. 
Terceiro, é aceita como sendo auto-evidente."
Arthur Schopenhauer

Facebook Page

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O meu "analfabetismo" bíblico não fala de prosperidade


O objetivo desta postagem é a criação de imagens contrastadas eleitas para 
representarem uma triste realidade, sem a necessidade de legendas.


......................................Como brasileiro não gosta de ler, vou colocar as imagens primeiro, seguidas do texto para os que tiverem paciência e interesse. Abaixo, seguem as imagens:





















O meu "analfabetismo" bíblico não fala de prosperidade
......................................
......................................Há um certo tempo, venho assumindo uma postura cada vez mais crítica para falar sobre religiões. Inclusive, utilizei a palavra HIPOCRISIA para descrever as religiões como uma forma de sinônimo (veja aqui). Existe o antigo ditado que diz que "religião não se discute" com o qual eu concordo em uma infímea parte. Concordo, pois, da mesma forma,  penso que gosto não se discute, preferências, caráter e qualquer outra característica que seja própria de cada um. Porém, quando certos absurdos se multiplicam e se fortalecem, ao ponto de ameaçar o bem comum, a moral e a sociedade, deve sercombatido sim, mesmo quando for (quando?) praticado por entidades ou "Autoridades" religiosas.

......................................Me considero um extremo ignorante no que se refere à Bíblia "Sagrada" ou aos ensinamentos que o povo foi condicionado a aceitar como oficiais, como a palavra de Deus. Não cabe discutir isso aqui, uma vez que já explorei cansativamente o tema em outras postagens (basta fazer uma rápida pesquisa).  Certa vez recebi a denominação "analfabeto bíblico", o que confesso ser, para mim, um título do qual me orgulho. Mas estive pensando, aos 25 anos eu era portador de alguns "títulos" (além do ensino fundamental e médio): de profissional técnico em informática;  graduação em fisioterapia;  pós-graduação em urgência e emergência;  aprimoramento profissional em perícias judiciais;  nomeação como perito judicial;  pós graduação em fisioterapia do trabalho;  mais de duas mil horas de cursos de formação na área de resgate;  título de professor especialista;  entre outros.
  
......................................Comecei então a refletir sobre o termo "analfabeto" e descobri que o analfabetismo nível 1 corresponde à condição dos que não conseguem realizar tarefas simples que envolvem a leitura de palavras e frases ainda que uma parcela destes consiga ler números familiares (números de telefone, preços etc.). Assim percebi que o termo NÃO se aplica a mim, uma vez que posso localizar e compreender uma informação em um texto. Não querer ler não significa analfabetismo.  Penso que incluir um denominador de cultura no conceito "gospel" apenas aumenta afalta de senso crítico do sistema. A tendência é o próprio objetivo destes "santos homens": atenuar o acesso da população mais desprovida (de dinheiro, cultura, educação ou apenas bom senso) a informações. Com isso, épossível restringir os indivíduos à leitura apenas do que lhes é exposto e, claro, sob a interpretação desejada do seu líder purificado.
......................................
......................................No que se refere à Igreja Católica, por exemplo, segundo Arthur Noble, existem algumas “semelhanças” entre Cristo Jesus e o líder do Vaticano (que pode-se estender a alguns pastores, pregadores, ap'ostolos. ministros, e ao Inri Cristo - a piada mais sem gra'ca de toda esta história). Estas semelhanças podem ser citadas, como por exemplo o fato de que, segundo os "Santos" textos, Cristo usou uma coroa de espinhos e o papa usa uma tripla coroa de ouro com pedras preciosas. Cristo lavou os pés dos seus discípulos e o papa tem os pés beijados pelos reis do mundo. Cristo pagou tributo e o papa os recebe. Cristo foi pobre e o papa...  nem tanto. Cristo carregou uma cruz sobre os ombros e o papa é carregado num trono de ouro, sobre os ombros dos seus servos. Cristo foi humilde, mas a a personificação do orgulho, da vaidade e do poder se manifesta bem significativamente no "sagrados" lugares dos relacionados acima.

......................................Segundo alguns, que participam de uma "guerrinha" quase particular na briga para declarar qual é a "verdadeira" religião, o trono do papa, por exemplo, não é de ouro e que a Igreja é uma das instituições que mais auxiliam os pobres e necessitados do mundo. Porém, esta publicação não objetiva denunciar que as instituições nada fazem. Apenas visa refletir sobre o fato de que o fundamento de sua pregação é exatamente ao contrário: não deveriam demonstrar riqueza e muito menos possuí-la.

......................................Como grande ignorante e alnalfabeto blíbico que sou, nunca li nada a respeito de "palavras de Deus" fazerem referência a PROSPERIDADE. Segundo dizem, em Mateus (17:27) encontra-se: "vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir, e abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter; toma-o, e dá-o por mim e por ti ". Qualquer um tentaria ficar rico após um milagre de tamanha magnitude financeira. Rastaria coletar o maior número de peixes possível. Mas Pedro não fez isso. Dizem que os ap'ostolos de Jesus não se tornaram ricos, nem criaram sistemas comerciais de capitalização. Porque não havia PROSPERIDADE ao seguir esse messias? E por que os pastores atuais pregam tanto a respeito de prosperidade, dinheiro e riqueza?  Segundo me contaram, nos livros "sagrados" não constam muitas referências sobre prosperidade, mas sim de RENÚNCIA. Segundo consta, "Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me  ".

......................................Eu não vejo pessoas pagando dízimo, doação ou frequentando essa "religiosidade" por querer "ser salvo"ou "aceitar Cristo". Vejo-os fazendo isso por conta de prosperidade e situação financeira. Pelo menos é o que mostra a madrugada prazerosa da televisão aberta. Atualmente se consegue manter o indivíduo manipulável “fiel” pelo medo de ir para inferno, ou seja, psicologia infantil. Este acredita que dentro do templo estará protegido de "todo o mal" produzido pelas äções de Satanás". Estes buscam a "Jesus" quando precisam de algo. Sempre pedem a Jesus, sempre orarm para conseguir as coisas. Nenhum destes doa a si próprio, trabalha voluntariamente para ajudar a quem precisa. Isso não gera renda e sem renda não tem programa na televisão.
......................................Segundo Eliane Brum,  um diálogo com um taxista foi digno de publicação. De acordo com sua história, ela entrou num táxi e puxou conversa com o motorista. O mesmo disse que havia lido quatro livros naquele ano. Ela então emendou “O importante é ler o que você gosta” e o taxista respondeu “O que eu quero agora é ler a Bíblia”. Foi neste ponto que o diálogo conquistou o direito a seguir com travessões.
- Você é evangélico? – ela perguntou.
- Sou! – ele respondeu, animado.
- De que igreja?
- Tenho ido na Novidade de Vida. Mas já fui na Bola de Neve.
- Da Novidade de Vida eu nunca tinha ouvido falar, mas já li matérias sobre a Bola de Neve. É bacana a Novidade de Vida?
- Tou gostando muito. A Bola de Neve também é bem legal. De vez em quando eu vou lá.
- Legal.
- De que religião você é?
- Eu não tenho religião. Sou ateia.
- Deus me livre! Vai lá na Bola de Neve.
- Não, eu não sou religiosa. Sou ateia.
- Deus me livre!
- Engraçado isso. Eu respeito a sua escolha, mas você não respeita a minha.
- (riso nervoso).
- Eu sou uma pessoa decente, honesta, trato as pessoas com respeito, trabalho duro e tento fazer a minha parte para o mundo ser um lugar melhor. Por que eu seria pior por não ter uma fé?
- Por que as boas ações não salvam.
- Não?
- Só Jesus salva. Se você não aceitar Jesus, não será salva.
- Mas eu não quero ser salva.
- Deus me livre!
- Eu não acredito em salvação. Acredito em viver cada dia da melhor forma possível.
- Acho que você é espírita.
- Não, já disse a você. Sou ateia.
- É que Jesus não te pegou ainda. Mas ele vai pegar.
- Olha, sinceramente, acho difícil que Jesus vá me pegar. Mas sabe o que eu acho curioso? Que eu não queira tirar a sua fé, mas você queira tirar a minha não fé. Eu não acho que você seja pior do que eu por ser evangélico, mas você parece achar que é melhor do que eu porque é evangélico. Não era Jesus que pregava a tolerância?
- É, talvez seja melhor a gente mudar de assunto…

Antes era uma bela e doce moça. Agora, a personificação do mal sentada no banco do seu carro. Chegaram ao destino depois de mais algumas conversas corriqueiras. Ao se despedir, ela agradeceu a corrida e desejou a ele um bom fim de semana e uma boa noite. Ele retribuiu. E então, não conseguiu conter-se:
- Veja se aparece lá na igreja! – gritou, quando ela abria a porta.
- Veja se vira ateu! – ela retribuiu, bem humorada, antes de fechá-la.
Ainda deu tempo de ouvir uma risada nervosa.

......................................Vou continuar atualizando esta postagem e como sempre, os comentários são abertos e nunca apagados.

 ......................................Por ora, continuo com votos de paz universal, na busca de um ambiente harmônico entre as pessoas, sem a ignorância, supremacia e intolerância imposta pelos dogmas.

......................................Sincera e fraternalmente,
 ................................Roger William Freire Ronconi





(continua...)



.....................................
.....................................

Um comentário:

  1. Já frequentei igrejas católicas, evangélicas e até mesmo a espirita em vários seguimentos, mas após alguns dias não consigo enxergar a verdade tão dita nas pregações, mas quando vejo um ato de caridade ou mesmo quando realizo um bom ato em prol a quem seja, me vejo feliz e não preso a coisas já colocadas como regras a mim e que eu muitas e muitas vezes discordo e ninguém consegue me explicar o porque não posso ir ou vir sem ser castigado pelo pecado e depois condenado ao inferno...o meu inferno e o de todos é aqui com as ações de boa vontade de deixamos de fazer a quem realmente precisa.

    ResponderExcluir

Compartilhe

Poderá gostar de ler também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...