Conversa Objetiva: Refletindo sobre as religiões e os homens-bomba
Este Blog é dedicado a tratar de assuntos como ufologia, religião, saúde, política, e cidadaniaCom uma linguagem às vezes subjetiva, oferece distintas  interpretações sobre a vida, sobre o Universo e a presença da humanidadeSerão apresentados recortes direcionados com o objetivo de despertar o pensamento crítico do ser humano, o desenvolvimento do respeito e da compaixão, da união e da igualdade entre as pessoas.
UTILIZE O MENU AO LADO <- PARA SELECIONAR POSTAGENS ANTIGAS NO ARQUIVO DO BLOG.

" Toda verdade passa por três estágios: Primeiro, é ridicularizada. 
Segundo, é violentamente rejeitada. 
Terceiro, é aceita como sendo auto-evidente."
Arthur Schopenhauer

Facebook Page

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Refletindo sobre as religiões e os homens-bomba

Reflexão:  
Do fanatismo contido aos homens-bomba
por Roger Ronconi


................................Muitos tentam com insistência entender como é possível a existência dos homens-bomba e de atos tão inescrupulosos e cruéis como vemos com frequência nas notícias internacionais. .Estive pensando um pouco a respeito e me lembrei de algumas coisas que mencionei a algumas pessoas interessadas que me questionaram muitas coisas interessantes no quadro comparativo religião-ciência. Lembro-de de ter comentado que há muito tempo as religiões perderam seu verdadeiro caráter e seu principal ensinamento.  Analisando o histórico de algumas religiòes e crenças que conheço, pude perceber certos padrões. É muito claro, ao se observar eras "pós Jesus Cristo" que essas crenças tornaram-se mais do que religião. Tornaram-se não apenas uma necessidade assustadora, como também política.


................................Todas as religiões, crenças e filosofias que conheço tinham sua base fundada na observação do próprio ser, o "olhar para dentro" que hoje tanto falta na sociedade que vislumbra sempre o que está fora de si. Não se olhando no espelho, os seres humanos tendem a focar-se apenas nos atos e aparências dos outros. As religiões estimulam isso. Quando se olha para dentro, se avalia as suas próprias ações. Como a verdade dói, é preferível deixá-la guardada. Dessa forma, surgiram as imagens, as idolatrias, as comunhões entre homens e até mesmo "homens santos", representantes consagrados de Deus na Terra com poder de tomar decisões entre vida e morte em seu nome.

................................Pense então no homem bomba. Segundo suas crenças, o paraíso islâmico é um lugar bastante sensual onde “se deitarão sobre leitos incrustados com pedras preciosas, frente a frente, onde lhes servirão jovens de frescores imortais com taças e jarras cheias de vinho que não lhes provocará dores de cabeça nem intoxicação, e frutas de sua predileção, e carne das aves que desejarem. E deles serão as huris [virgens] de olhos escuros, castas como pérolas bem guardadas, em recompensa por tudo quanto houverem feito. (…) Sabei que criamos as huris para eles, e as fizemos virgens, companheiras amorosas para os justos.” (Alcorão, surata 56, versículos 12-40).


................................Talvez seja uma hipocrisia da minha parte, ou mesmo uma simples injustiça, se eu perguntar:  matar inocentes, crianças e bebês é ser justo? Devo pensar em um indivíduo que desde o berço deve ter escutado "em nome de Allah" que iria para o céu, mataria os infiéis, traria a glória de Allah de volta à terra. Esse mesmo indivíduo que com certeza foi privado da livre informação e da cultura, torna-se então uma perigosa e violenta arma em serviço da pior praga que existe nesse planeta: o fanatismo!


................................“Existe no paraíso um mercado onde não há compra ou venda, mas homens e mulheres. Quando um homem deseja uma mulher ele vai até lá e tem relações sexuais com ela” (Al Hadis, Vol. 4, p. 172, No. 34).

................................Não tenho nenhuma razão para criticar qualquer religião que seja, pois entendendo sobre frequências vibratórias, percebo que a ideia de a "melhor religião" nada mais é do que a crença que lhe dá maior conforto vibratório, aquela que te faz bem. Os cristãos, cuja noção é de que o mundo físico é impuro, gostam muito de apontar os muçulmanos e dizer que o paraíso deles é “liberal” demais. Assim, os muçulmanos dizem aos cristãos que para falar de sacanagem em livros "sagrados" é melhor pensar direito. É assustadora a troca de gentilezas e citaçòes pono-sacras (li e gostei da expressão) entre religiões, demonstrando que os jovens envolvidos aprendem muito sobre violência sexual, abuso e prostituição nessas discussões.


................................Existem críticas de tradicionais muçulmanos afirmando que certos trechos citados são falsos, o que também é muito comum nas contraditórias interpretações da bíblia. Este é mais um fato que fortalece a minha tese sobre o materialismo religioso, onde importa mais uma informação escrita (cuja fonte não é comprovada cientificamente - como gostam de dizer alguns religiosos sobre outras coisas), que permite interpretações variadas, do que o respeito entre os seres humanos. Perguntei isso a um evangélico recentemente. Ele me perguntou sobre fatos científicos e provei que ele estava muito desinformado. Dizia para mim que muitas coisas eram coisas do demônio, que não faziam parte do contexto da ciência. Mostrei para ele que muitos assuntos aos quais se referia, eram inclusive temática de teses de doutoramento, explanando abertamente sobre pesquisas científicas de radiestesia a medição de frequências vibratórias, de aura a teletransporte e viagens inter-temporais.

................................Minha pergunta chave é: se questionam tanto a ciência e não acreditam em nada do que a ciência moderna desenvolve, como é que acreditam no livro que defendem? Por que não pedem comprovações científicas a respeito de sua originalidade?  Veja que não estou desmerecendo os livros "sagrados". Apenas estou questionando sua ORIGINALIDADE apolítica, que não espera valorizar o poder e o dinheiro.


................................Segundo o professor de línguas antigas Christoph Luxenberg, muita coisa faria mais sentido nos textos sagrados se os tradutores levassem em conta que o Alcorão não foi escrito apenas em árabe, mas em uma grande mistura de antigos dialetos aramaicos. Por exemplo, a palavra “hur”, que em árabe quer dizer “virgem”, em sírio significa “branca”. Assim, as “castas huris de olhos castanhos” descritas no Alcorão seriam na verdade “uvas brancas secas” de “clareza cristalina”, uma iguaria bastante apreciada naquela época. Dá para imaginar a decepção dos "mártires"?  

................................Mas escuta....  posso fazer uma última pergunta?

................................Sabemos que nesses países a mulher não é uma pessoa, é apenas um corpo sem valor moral, ético e social.   Sabendo que existem mulheres-bomba, o que lhes será oferecido quando chegaram ao final da sua divina e gloriosa jornada de assassinato de inocentes?  Serão homens virgens?  Será um fogão de seis bocas auto-limpante?  Ou elas não chegarão ao paraíso?
Roger William Freire Ronconi



3 comentários:

  1. Whoa, não consegui desgrudar os olhos do seu texto - tamanho o nível de informações. Sua reflexão é inteligente e crítica, merece toda a recomendação possível. Muito bom ^^

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela participação no blog e pelos elogios.
    Continue aproveitando as informações que lhe aparecerem aqui.
    Em um momento oportuno elas lhe servirão muito bem.

    Fraternalmente,

    Ronconi, Roger

    ResponderExcluir
  3. Texto Ótimo .... Mas a forma deles pensarem infelizmente é muito pequena!!!

    ResponderExcluir

Compartilhe

Poderá gostar de ler também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...